O processo de elaboração do Contrato Consciente permite que as sócios se conheçam a fundo e vejam os potenciais e as dificuldades daquela relação

Fazer com que o cliente se sinta um chef de cozinha, esta é a proposta da Riso em Casa. Idealizado por Rosane Lerner e Nedda Sobral, o projeto está em fase de testes e teve o auxílio da advogada Fernanda Guerra, especialista em Contratos Conscientes, na construção do contrato societário. 

Conheça mais:  

O que é a Riso em Casa?

Risoto é aquele clássico italiano que agrada a todos. Seu preparo é refinado, cuidadoso e requer um delicado toque do cozinheiro. Para facilitar o dia a dia e oportunizar que os clientes tenham uma experiência gourmet em casa, as sócias Rosana e Nedda encontraram neste prato uma oportunidade de negócio. 

A Riso em Casa ainda está se estruturando, analisando o mercado e em fase de testes. “Essa oportunidade surgiu durante a pandemia. A ideia é oferecer uma finalização de pratos com um viés de restaurantes, na casa do cliente, e por ele mesmo, ainda que não saiba cozinhar”, explica Nedda.

O piloto do projeto está centrado no público carioca, mas em breve deve expandir para alcançar os fãs da boa culinária em outras regiões. “É um produto que ainda não vimos no mercado”, antecipa Rosane. 

Desafios


Além de parceiras de negócio, Nedda e Rosane são amigas. O objetivo do contrato era aclarar as necessidades e os desejos de cada uma dentro daquela parceria societária, evitando desgastes na relação por problemas de falta de comunicação ou visões divergentes sobre o negócio. 

“Nosso objetivo é aliar o prazer ao trabalho, poder falar o que gostamos de fazer e o que não gostamos, dividir tarefas e entender as possibilidades do outro. Olhar para o futuro sabendo o caminho que estamos percorrendo e encontrar alternativas, quando possível, para que não haja problema”, pontua Rosane. “Saber o que o outro espera e acredita, saber a impossibilidade do outro e a nossa também, saber como lidar com as nossas imperfeições, tudo isso faz parte do processo”, conclui a sócia.

O negócio ainda está se estruturando com duas sócias, que cuidam de todas as partes da operação no momento. Mesmo sem ter a Riso em Casa totalmente consolidada, as idealizadoras do projeto procuraram Fernanda Guerra, primeira advogada certificada em Contratos Conscientes, para um olhar externo e humanizado para a relação. 

“O que nos levou a procurar a abordagem dos Contratos Conscientes foi a vontade de preservar uma amizade. Não errar onde não se deve errar, na intenção de que as duas sócias estejam à vontade com suas capacidades e com seus desafios pessoais”, esclarece Nedda.

Contratos Conscientes: metodologia aplicada

Com base em métodos baseados no diálogo, o Contrato Consciente é uma abordagem que busca a sustentabilidade dos negócios e a harmonização das relações contratuais. Junto ao cliente, são criadas soluções customizadas que buscam benefícios mútuos e a autonomia das partes. 

Durante o processo, uma série de dinâmicas são realizadas para que os sócios se conheçam mais a fundo, desenvolvam a empatia e compreendam a função e a importância de cada um deles dentro daquele negócio. O Contrato Consciente propõe a prevenção e a autogestão de conflitos, mas possui validade jurídica como os contratos convencionais. 

Para Rosane, era fundamental um suporte profissional e, ao mesmo tempo, preocupado com as pessoas que fazem parte desse projeto. “É um presente ter a oportunidade de desenvolver processos e encontrar bons caminhos para uma sociedade, seja ela qual for. Poder olhar para um bom futuro e para o que poderia não funcionar. E saber que estamos protegidos, pois, seja qual for o caminho, se as pessoas se entregarem, será um caminho em que tudo vai dar certo”, almeja.

Ao todo, o processo de elaboração levou cerca de nove meses. Depois das dinâmicas e definições das cláusulas, o documento foi formalizado pela SER com design e linguagem acessíveis aos usuários. 

“Estamos aprendendo a discordar, a concordar, a entender uma o que a outra pensa, a descobrir quem é nosso cliente. Ainda estamos engatinhando, mas percebemos no documento o respeito aos nossos valores, a quem somos e ao que acreditamos. É a nossa cara ter um Contrato Consciente”, sustenta Nedda. 

Resultados e benefícios dos Contratos Conscientes

O processo de elaboração dos Contratos Conscientes revela que os indivíduos são capazes de construir consenso em suas relações, tanto profissionais quanto de amizade, sem a necessidade de litígio. É impossível prever quais conflitos surgirão, mas conhecer bem o outro, ser empático e desenvolver um espaço de transparência e confiança são fundamentais para a construção de uma sociedade. 

“Toda essa transparência, que vai clareando durante as conversas e tarefas do Contrato Consciente, nos coloca em contato com o que somos, o que queremos, o que podemos entregar e será uma grande facilitadora na hora de nos associar”, explica Rosane. 

Sobre a SER Consultoria

Com mais de vinte anos de carreira na advocacia, a carioca Fernanda Guerra é a  idealizadora da SER Consultoria e a primeira profissional da América Latina a receber a licença para o desenvolvimento de Contratos Conscientes. A licença foi concedida em 2020 pela criadora do termo Contratos Conscientes e responsável pela patente, a advogada americana Linda Alvarez, e pela profissional de referência mundial na prática da abordagem, a advogada J.Kim Wright. 


Com os Contratos Conscientes, a SER busca a sustentabilidade das relações e garante a acessibilidade à Justiça. A consultoria atua também na facilitação de diálogo, prevenção e gestão de conflitos.

Categories: Cases

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tem alguma dúvida?